Camissombo – Moquita – Lucapa – Saurimo – Malanje – Luanda: ida e volta

Angola 20170313 115220

A caminho do trabalho – garimpo na Lunda Norte

Um projecto de prospecção e exploração de diamantes de aluvião levou-me, de novo, a Angola.

Estreámos uma nova tecnologia (um drone acabado de comprar; como vivemos até agora sem um?), revimos velhos amigos e fizemos novos conhecimentos, falámos com garimpeiros e ouvimos a chamada muçulmana para as orações às 4 da manhã no Lucapa, experimentámos uma (para nós) inédita viagem por estrada Camissombo – Moquita – Lucapa – Saurimo – Malanje – Luanda, atravessámos e viajámos no rio Luachimo.

Viajo (e trabalho) há vinte cinco anos para Angola; nenhuma viagem foi tão intensa. Os filmes e as fotos que irei publicando ao longo das próximas semanas são para mim forma de não esquecer; para quem já lá viveu, pretexto para recordar.

A Sínese é uma empresa especializada em Geologia Económica e Análise e Sistemas Inteligentes. Fundada em 1995, a Sínese realizou estudos técnicos, económicos e de mercado, desenvolveu sistemas de informação especializados, concebeu e implementou projetos de prospecção, avaliação, mineração de recursos minerais em diversos países e continentes – Europa (Portugal), África (Angola, República do Congo, África do Sul, Angola) e nas Américas (Canadá, Estados Unidos, Brasil, Argentina, Uruguai e Equador).
Em particular, a Sínese esteve envolvida em inúmeros projetos ligados à prospecção e mineração de diamantes jazigos aluvionares e quimberlíticos em Angola e no Brasil, de pedra natural em Portugal, no Brasil e em Angola e de ouro e/ou nióbio e tântalo (nomeadamente aluvionares) em Portugal e na República do Congo, manganês e outros metais no Brasil.
A Sínese, coordenada por Luís Chambel – luischambel@sinese.pt , é constituída por uma equipa coesa, flexível e altamente qualificada, com especialistas em diversas disciplinas técnicas e científicas, desde a Engenharia de Minas, Geológica Económica e Aplicada, Sistemas de Informação Geológica, Estatística e Análise de Dados.

Vitória Stone Fair – NEW DATES

Novas datas para a Feira de Vitória – 6 a 9 de Junho 2017

News release just received:

Vitoria Stone Fair | Marmo+mac Latin America 2017 will take place from 6 – 9 June 2017, in Espirito Santo – Brazil. The event is considered the largest stone exhibition in Latin America and the most objective, economical and efficient way to develop business in Brazil, Latin America and the global stone sector.
The fair brings together an exuberant showcase, with several types of materials with colors and unique textures. Also, novelties in machinery, equipment and stone accessories for the industry. The event attracts buyers from all continents, from importers to exporters, looking for machinery, accessories and services.

Vitória Stone Fair website

 

Make money, not war

A new book, a new perspective
by Rui Martins dos Santos

An easy, provocative read, written for non-economists

Karl Marx predicted the collapse of capitalism but his prophecy failed. Is he now smiling in his grave?
Poor economic growth, high unemployment (almost 40 million unemployed in developed countries), rising inequality and the flight of the electorate to abstention or to populist candidates, constitute a significant challenge.
The future of capitalist or social democratic regimes will have to involve the creation of money to stimulate the global demand for goods and services.
Without any prospects for stronger consumption growth artificially stimulated by the creation of money, there won’t be enough investment. And without sufficient consumption and investment, we can go into a recessionary and deflationary spiral of serious proportions.
Not all problems have solutions. But the lack of demand for goods and services always has a solution: money creation. With rules, distribution of benefits and without inflation.
See how this can be done in this book.

English edition available at Amazon.com and Amazon.es.

Um novo livro, uma nova perspectiva
por Rui Martins dos Santos

Leitura fácil e provocadora, para não-economistas

Karl Marx previa o colapso do capitalismo mas a sua profecia falhou. Estará agora a sorrir no túmulo?
O fraco crescimento económico, o elevado desemprego (quase 40 milhões de desempregados nos países desenvolvidos), o incremento dos indicadores de desigualdade e a fuga do eleitorado para a abstenção ou para candidatos populistas, representam um desafio significativo.
O futuro dos regimes capitalistas ou sociais-democratas terá de passar pela criação de moeda para estímulo da procura de bens e serviços.
Sem perspectivas de crescimento do consumo estimulado artificialmente pela criação de moeda, não haverá investimento suficiente. E sem consumo e sem investimento suficientes, poderemos entrar numa espiral recessiva e deflacionária de proporções graves.
Nem todos os problemas têm solução. Mas a falta de procura de bens e serviços tem sempre solução: a criação de moeda. Com regras, com distribuição de benefícios, sem inflação.
Saiba como, neste livro.

Edição portuguesa disponível na Amazon.com ou na Amazon.es.

A política de transportes em Londres; e Lisboa?

Em Londres:

Healthy Streets for London
Prioritising walking, cycling and public transport to create a healthy city

healthy-streets-for-london

E em Lisboa?

As obras recentes (e em curso) são aquilo de que necessitamos?
É uma opção certa municipalizar o transporte público? Com importantes fluxos intermunicipais, mudando o paradigma anterior, não faz mais sentido pensar e gerir de forma integrada, metropolitana?
E interfaces para bicicletas e transportes públicos?
E estacionamentos seguros para bicicletas em espaços comerciais?
Podemos começar a pensar tendo 2040 e para lá disso como horizonte? Ou vamos continuar a reagir, sem planear?
Onde estão os recursos financeiros para uma verdadeira política de transportes?
E a electrificação dos transportes? E a integração da rede eléctrica doméstica com o transporte individual?

E nas outras cidades?
E no país profundo?

Sim, hoje o tema sai do habitual.
Não, não é a minha praia.
Mas vivo aqui.

 

Atractividade do investimento na produção de diamantes de origem aluvionar

Escrevi esta tese de mestrado (MBA) em 1993, há quase 25 anos.

A idade da tese nota-se nalguns tópicos; continua, no entanto, a ser uma referência útil em língua portuguesa para quem tenha interesse no tema. Como acredito que não seja fácil de encontrar, disponibilizo-a em formato pdf: basta seguir o link.

Acredito que possa ser útil, especialmente para quem, em Angola ou noutros países de língua portuguesa, se inicia nesta actividade.

Mais tarde, na tese de doutoramento, continuei a explorar o tema (embora numa outra perspectiva) – irei também disponibilizar em breve este documento. Finalmente, publiquei em final de 2013 um relatório sobre a indústria dos diamantes de Angola – disponível neste blog, One century of Angolan diamonds (em inglês).

Neste momento, co-oriento duas teses de mestrado e uma de doutoramento ligadas à exploração de diamantes em Angola. Assim estejam concluídas, serão também aqui divulgadas.