In Maputo (Mozambique) next week

I will be in Maputo (Mozambique) next week (Monday to Wednesday, the 4th to the 6th April), focused on the country’s mineral industry. It’s a short stay and, unfortunately, limited to Maputo but it’s an opportunity to meet an talk about exploration and mining projects and opportunities (especially about, but not limited to, gems and diamonds, tantalite and other pegmatite deposits). Drop me a line to luischambel@sinese.pt to set up a meeting.

Num retorno há muito desejado, estarei em Maputo (Moçambique) na próxima semana (segunda a quarta, 4 a 6 de Abril), focado na indústria mineira do País. É uma estadia muito curta e, infelizmente limitada a Maputo, mas é uma oportunidade para falar sobre projectos e oportunidades no de prospecção e mineração (especialmente em, mas não limitadas a, gemas e diamantes, tantalite e outros jazigos pegmatíticos). Contacte-me através do meu email para combinarmos uma reunião: luischambel@sinese.pt.

It’s a time of exceptional diamonds

Exceptional diamonds are forever and the last few months have been an epoch of new exceptional diamonds. In the wake of the discoveries in Botswana (Lucara Diamonds Karowe kimberlite south lobe – the 1,111 ct Type IIa Lesedi La Rona and several other large diamonds) and in Angola (Lucapa Diamond Company – 404 ct recovered in the Lulo project, recently sold by 16 million USD), Petra Diamonds recently announced the discovery of an exceptional 32.33 carat pink diamond from the Williamson mine in Tanzania. This diamond was sold for US$15.0 million (US$463,965 per carat); Petra Diamonds also retains an interest in the polished proceeds (Petra will receive 10% of the value uplift of the polished).

Both the Karowe kimberlite (especially its south lobe) and the Lulo alluvials (and the close by kimberlites) are establishing a name as new sources for very large diamonds. Relatively new technological developments – the XRT diamond recovery machines, have also had a major contribution in the surge of discoveries.

32.33ct-pink-stone-final-choice-1

 33.33 ct pink diamond from the Williamson mine (Tanzania) – photo from Petra Diamonds website

Portugal International Mining Business & Investment Summit

Portugal International Mining Business & Investment Summit – PIMBIS

April 12, 13 & 14, 2016, LISBOA – PORTUGAL

Pimbis Poster english.jpg

To register or to know more about sponsoring or exhibition opportunities, check the PIMBIS website: www.pimbis.com

Pimbis Poster portuguese

Para se inscrever ou saber mass sobre oportunidades de patrocínio ou de exposição visite o website PIMBIS: www.pimbis.com

Programa para o Colégio de Eng.ª Geológica e de Minas

UM NOVO MUNDO, UM NOVO PAÍS, NOVOS ENGENHEIROS

UM NOVO COLÉGIO

Tudo mudou. Este é o momento em que mudamos, nos adaptamos, em que nos afirmamos.

Por isso, apresentamos uma candidatura independente ao Colégio Nacional de Engenharia Geológica e de Minas. O nosso programa para o Colégio inclui:

  • Criação de um grupo de trabalho focado nas questões da actividade profissional da Engenharia Geológica e de Minas, quer em Portugal (onde existem desafios particularmente graves no exercício da actividade), quer no exterior (onde enfrentamos limitações injustificáveis, que é preciso eliminar ou diminuir).
  • Criação de grupos de reflexão, de que resultarão por um lado, uma discussão da estratégia nacional e, por outro, relatórios e recomendações nas seguintes áreas:
    • Estratégia, legislação nacional e licenciamento.
    • Energia, Carvão, Petróleo e Gás.
    • Pedra Natural, Rochas e Minerais Industriais.
    • Minerais metálicos.
    • Diamantes e outras gemas.
    • Prospecção e Avaliação, Recursos e Reservas.
    • Planeamento, Exploração, Tratamento de Minérios e Reciclagem.
    • Engenharia Geológica, Geologia de Engenharia, Geotecnia e Riscos geológicos.
    • Água, Alterações climáticas, Minerais de conflito, Ambiente e Sustentabilidade.
    • Investimento, financiamento e mercados financeiros.
    • Recursos humanos, Segurança industrial e Relações laborais.
    • Investigação e desenvolvimento, Universidades
  • Criação de programa de actualização contínua dos engenheiros geológicos e de minas.
  • Criação de prémios anuais a atribuir pelo Colégio em áreas específicas do conhecimento e actividade dos Engenheiros Geológicos e de Minas:
    • A engenheiros geológicos e de minas ou geólogos pelo desenvolvimento de projectos e trabalhos nos domínios da geologia económica e aplicada e prospecção e avaliação de jazigos minerais.
    • Por inovação nos domínios do planeamento mineiro, tratamento de minérios, análise de dados e cálculo de reservas – a atribuir a teses ou projetos industriais com contributo inovador significativo.
    • A engenheiros geológicos e de minas ou arquitectos (ou empresas e ateliers) por projectos de exploração, transformação e utilização de pedra natural portuguesa.
    • A projectos industriais ou trabalhos de investigação realizados por engenheiros geológicos ou de minas nos domínios da geotecnia, hidrogeologia, mecânica dos solos e mecânica das rochas.
    • A engenheiros geológicos e de minas ou geólogos por contribuição notável na descoberta de algum jazigo de classe mundial ou para a abertura de alguma nova mina no espaço dos países lusófonos.
  • Retoma da realização anual de um Encontro Nacional.

Temos uma equipa nova, uma visão, um projeto.

Precisamos da vossa confiança e do vosso apoio para construirmos, todos, um novo Colégio. Precisamos do vosso voto no dia 21 de Abril.

Para saber mais sobre nós e o nosso projecto, consulte a nossa página aqui.

 

1776, Diamantina (Minas Geraes)

cc-1916-a_0001_est_t24-C-R0150

Diamantina is one of my favourite cities; I lost track of the number of times I visited this LusoBrazilian jewel. The city, the region, its diamonds and geology are a common topic in this blog, either as posts (herehere and here) or photo galleries (herehere and here – just click on the links).
Located north of Belo Horizonte, this town classified as World Heritage was the birthplace of main characters in the Brazilian history (Juscelino Kubistchek, President and a central figure of the Brazilian XX century and Chica da Silva, the slave-lady a mythical figure of the XVIII century turned feminist and slave liberation icon).
It was in Diamantina (then Tejuco), around the end of the first quarter of the XVII century, that diamonds were first discovered outside India, setting a new era for the industry.
The Biblioteca Nacional (the Portuguese National Library) just published a digital version of a map dated 1776 on the demarcation to the diamond mining region, whose center is Diamantina (the Arraial do Tejuco).
The map, bought in an auction held in 2011, may have been an annex of official correspondence between the Real Extracção (in Minas Gerais) and the Directoria dos Diamantes (in Lisbon).

Diamantina é uma das minhas cidades favoritas; perdi já a conta às visitas que fiz a esta jóia mineira e luso-brasileira. A cidade, a região e os seus diamantes e geologia são tema frequente de textos (aqui, aqui e aqui) e fotografias publicados neste blog (aqui, aqui e aqui – basta clicar para aceder aos textos e às galerias de fotos).
Localizada a norte de Belo Horizonte, esta cidade hoje Património Mundial, viu nascer Juscelino Kubistchek (Presidente da República e personagem central do século XX brasileiro) e Chica da Silva (a escrava-senhora, mítica personagem do século XVIII).
No primeiro quartel do século XVIII, Diamantina foi o local onde foram descobertos os primeiros diamantes no Brasil, os primeiros diamantes produzidos fora da Índia dando início a uma revolução no mercado desta pedra preciosa.
A Biblioteca Nacional publicou  a versão digital de um mapa datado de 1776 relativo à demarcação diamantina – delimitação da área onde se realizava a extracção de diamantes e em cujo centro se localizava o Arraial do Tejuco (Diamantina).

O mapa representa a demarcação da Região Diamantina, situada na comarca do Serro Frio, na Capitania de Mato Grosso (hoje Estado de Minas Gerais), no Brasil. O centro da demarcação era o Arraial do Tejuco, a actual Diamantina. Este mapa pode ter feito parte de um anexo da correspondência trocada entre a Real Extracção dos Diamantes, no Arraial do Tejuco, e a Directoria dos Diamantes, em Lisboa – in Biblioteca Digital Luso-Brasileira.

Este mapa, sem autor atribuído, foi adquirido pela Biblioteca Nacional de Portugal em Abril de 2011 num leilão organizado pelo Palácio do Correio Velho.

 

Curso sobre Avaliação de Jazigos e outros Activos Minerais

IST (FUNDEC – 11, 12 e 13 de Abril 2016) – Luís Chambel (Sínese) e Jorge de Sousa (IST)

O curso destina-se a engenheiros de minas e geólogos, estudantes de licenciaturas e mestrados nas áreas da engenharia de minas e geologia, gestores de empresas mineiras, analistas de bancos e empresas do sector financeiro com atividade no sector dos recursos minerais.

Após um superciclo de expansão de produção (preços e volumes), a indústria mineral encontra-se numa fase caracterizada pela incerteza quanto às perspectivas futuras, por uma tendência geral de baixa de produção e acréscimo da volatilidade de preços. As decisões de investimento ou desinvestimento ou financiamento dum projeto de prospecção ou exploração de um depósito mineral são críticas em qualquer fase do ciclo económico; são especialmente relevantes em situações como as atuais.

Aquelas decisões baseiam-se, em última análise, na capacidade de avaliar corretamente os jazigos e minas, isto é, de estimar custos (OPEX e CAPEX), receitas e risco associados à mineração do jazigo com base nas características da mineralização (e.g. volume, teor e preço unitário da mineralização e suas distribuições espaciais) e do maciço (e.g. hidrogeologia, geotecnia) e nas condições operacionais e de mercado (atuais e previsíveis).

O curso tem como objectivo fornecer aos participantes as bases teórico-práticas necessárias para avaliar jazigos e outros ativos minerais. Com este curso, os formandos desenvolverão competências para calcular o valor de jazigos e outros ativos minerais, estimando, classificando e reportando os recursos e reservas de jazigos minerais aplicando padrões internacionais. O curso apresenta de forma interligada um conjunto de metodologias, conceitos e ferramentas úteis na avaliação de jazigos e ativos minerais, nomeadamente:

  • Modelo DCF (discounted cash flow)
  • Normas internacionais – NI – 43.101 e CIM (Canadá), PERC (União Europeia), Nações Unidas, SME (Estados Unidos).
  • Métodos quantitativos, estatísticos e geoestatísticos de cálculo de recursos e reservas.
  • Métodos de avaliação de jazigos e concessões.
  • QA/QC, competent/qualified person.
  • Avaliação de risco.

O curso é apresentado recorrendo a casos práticos de avaliação de jazigos e outros activos minerais, nacionais e internacionais.

Para obter mais informações, contactar luischambel@sinese.pt.

Going to PDAC – meet and talk

A last minute decision – I am traveling to Toronto to attend PDAC 2016.

It’s the perfect place to meet and talk: Angola, Mozambique, Brazil and Portugal, diamond and other gems, Nb-Ta and other pegmatite minerals, tungsten, gold, ferrous and base metal deposits, industrial minerals, natural stone. Challenges and opportunities.

Where and when can we meet? luischambel@sinese.pt